Maus

Já fazia algum tempo que eu estava com vontade de escrever sobre quadrinhos aqui. Quero deixar claro que eu não tenho pretensão de fazer review de nada, quero só falar do que eu gosto, não vou perder tempo escrevendo sobre quadrinhos que já foram perda de tempo pra mim em primeiro lugar. Se você quiser uma review vá procurá-la com profissionais!


Pra estrear essa nova coluna escolhi Maus!
Até algum tempo atrás meu quadrinho favorito era Watchmen (assim como de muitas pessoas). Watchmen sempre teve uma vantagem natural pra mim por se tratar de um dos meus assuntos favoritos: heróis!
Watchmen ainda está no meu Top 5 pessoal e pretendo escrever sobre ele em outra ocasião, mas depois que li Maus as coisas mudaram por aqui!


O AUTOR

Maus foi escrito e desenhado por Art Spiegelman, autor Sueco que atuou muito tempo no meio
underground. Teve episódios difíceis em sua vida dos quais os mais chocantes foram ter sido mandado para um manicômio e logo após de sair de lá sua mãe ter se suicidado.
Seus traços são muito interessantes. Ele emprega tão bem o preto e branco que penso que se Maus fosse colorido não teria o mesmo nível de qualidade que tem.
Outra característica marcante na obra de Spiegelman é a maneira pessoal com a qual ele conta a história. Maus é quase uma bioagrafia e Spigelman trata a história sem esconder seus conflitos pessoais e sem fazer pose de bom-moço.


O ENREDO

Maus retrata duas histórias simultaneamente que se intercalam durante a narrativa. A história principal se passa durante a segunda guerra mundial e os protagonistas aqui são Vladek, Anja e Richieu , respectivamente pai, mãe e irmão mais velho do autor que eram judeus e sofreram muito em campos de concentração e perseguições na época.
A história secundária (mas não menos emocionante) se passa anos mais tarde quando o autor vai entrevistar seu próprio pai a respeito do que ocorreu nos campos de Auschwitz. Os protagonistas aqui são Artie, Vladek, Mala e Françoise, respectivamente o próprio autor, seu pai, sua madrasta e sua esposa.
Uma das grandes sacadas de Spiegelman em Maus foi o fato de cada povo ser representado por um animal. Os judeus por exemplo são desenhados como ratos e os alemães como gatos.
Um dos pontos altos da história é quando Vladek descobre uma antiga publicação de Artie onde ele retrata suicídio da própria mãe na história Prisioner on The Hell Planet originalmente publicada em 1973 mas totalmente reproduzida em Maus.
Os grandes conflitos da história giram em torno da dificuldade de Vladek e Anja em sobreviver nos campos de concentração e, posteriormente, da dificuldade de Artie em se dar bem com seu próprio pai.



MINHAS IMPRESSÕES

Eu li Maus inteiro duas vezes. Gostei muito quando li da primeira vez e gostei mais ainda quando li a segunda. A obra é muito tocante e até pesada em alguns pontos.
De tudo que já vi sobre a segunda guerra e sobre a perseguição aos judeus, e isso inclui filmes, livros, documentários, reportagens e outros, nada foi tão visceral quanto Maus que meio sem querer e sem perceber acabou se tornando meu quadrinho favorito roubando o lugar de Watchmen.



CURIOSIDADE

Em 1992 Maus ganhou o Prêmio Pulitzer. Trata-se de um prêmio administrado pela universidade de Colúmbia, em Nova York e dado a obras de jornalismo, literatura e música.
Foi criada uma categoria especial para Maus no prêmio Pulitzer porque o comitê de premiação não conseguiu se decidir entre as categorias "biografia" e "ficção".
Art Spiegelman foi o único autor de quadrinhos até hoje a ganhar um prêmio Pulitzer.

Veja Também

Nenhum comentário:

Postar um comentário