Alegorica - Não Era Isso Que Eu Queria

Antes de falar sobre o assunto que me interessa hoje eu gostaria de relembrar como está o cenário musical hoje.
Temos um enorme mar de babaquices divulgadas pela grande mídia que atingem o grande público e causam ojeriza em uma minoria que prefere rejeitar aquilo que a TV tenta nos empurrar goela abaixo.
Fora da mídia ainda somos bombardeados com uma infinidade de bandas-cover ou que simplesmente imitam estilos musicais já existentes.
Não estou condenando essas bandas por isso, acredito até que existam alguns imitadores bem sucedidos que fazem tão bem seu trabalho que vale a pena conferir sua releitura de algo que já existe, mas de modo geral eu faço parte da pequena parcela de ouvintes que busca sons originais, bandas inovadoras, com característica própria e que fazem algo inédito. Bandas assim são uma raridade desde sempre mas mesmo assim volta e meia elas dão as caras e me deixam feliz da vida por ter a oportunidade de ouvir algo original em meio a tantas cópias de cópias.
Esse é o caso do Alegorica, banda paulistana que já chegou impressionando pela criatividade.
Eu não gosto muito de ficar definindo e limitando uma banda a um estilo musical, mas se fosse pra eu escolher algo simples para definir o som do Alegorica eu ficaria com Rock Experimental, mas essa é somente minha humilde opinião, escute por si mesmo e defina a banda como preferir, tenho certeza que eles não vão se incomodar com isso!
Além do som inconfundível que falarei mais a seguir eles ainda se preocupam muito com os efeitos visuais dos shows trazendo permonfances teatrais que aumentam ainda mais a originalidade da banda.
Eles acabaram de lançar seu primeiro EP entitulado Não Era Isso Que Eu Queria... e está impecável!
São ao todo sete músicas, das quais cinco delas eu considero clássicos instantâneos.
O EP abre com  a música tema do EP: Fome com um refrão extremamente grudento mas nem por isso irritante. Música contagiante na medida certa!  A seguir temos Deuses de Plástico que eu já digo logo que é a minha preferida. Considero uma obra-prima não só pelos arranjos muito bem explorados como também pela ideologia da letra carregada de sarcasmos quanto ao consumismo em geral e as outras doenças originadas por ele. Mais sarcasmos e críticas a nossa sociedade hedonista em Inocência seguida de Dama Inflável e Espiritualidade no Plural que ficaram mais ocultas aqui devido ao trabalho excepcional feito nas demais canções mas que também não deixam a desejar na qualidade do EP.
A música mais agressiva do EP é Create e supre a necessidade de um som mais pesado e também dá mais espaço para explorar um vocal mais gritado que muito agrada esse que vos escreve.
Ainda temos a melodia marcante de Cidade Liberdade para encerrar o EP com chave de ouro.
A banda é altamente recomendável para quem procura algo diferente, original mas que também tenha conteúdo ideológico.

O EP está disponível para download no site da banda mas também pode ser ouvido na íntegra online!

Veja Também

Um comentário