Lobão - Sob o Sol de Parador

LOBÃO - Sob o Sol de Parador

01- Panamericana
02- Quem Quer Votar
03- Essa Noite Não
04- Um Bobo Pra Cristo
05- E o Vento te Levou 
06- Azul e Amarelo
07- Uma Dose a Mais
08- Lipstick Overdose
09- Sexy Sua
10- Toda Nossa Vontade


O álbum de hoje é de longe um dos maiores fracassos da carreira do Lobão.
Recheado de rock’n roll, gritaria e revolta política, Sob o Sol de Parador passou quase despercebido pelos fãs do cara, mas sabe de uma coisa? Eu adorei!
Das dez músicas gravadas aqui apenas uma fez um pouco mais de “sucesso” e até chegou a ser regravada no Acústico MTV de 2007. Estou falando da terceira faixa Essa Noite Não, que na minha opinião possui a melhor descrição já feita até hoje de toda doença mental provocada pela correria do dia-a-dia.
Já mencionei a música de abertura desse álbum em duas outras ocasiões aqui nesse blog (AQUI e AQUI) e quem já leu alguma delas sabe que Panamericana, que é a música tema desse álbum, é minha música favorita do Lobão. Como ela já foi postada em duas ocasiões por aqui excluirei ela das minhas três recomendações no final desse post para que você possa conhecer outras coisas legais desse álbum.
Além da música tema desse álbum ainda temos a segunda e a quarta faixa do álbum representando as composições extremamente politizadas desse álbum. São elas respectivamente Quem Quer Votar e Um Bobo Pra Cristo.
O Lobão sempre teve essa característica revoltada mas sempre foi menosprezado por grande parte do público rock’n roll brasileiro por não ser um rostinho bonito e não ser exatamente um grande exemplo de afinação e técnica vocal. Isso tudo ficou evidenciado de forma escancarada no Rock in Rio de 1991 onde ele foi vaiado por uma multidão de imbecis que por alguma razão acreditaram que ele não deveria estar ali (provavelmente os mesmos imbecis que preferem ver Ivete Sangalo e Cláudia Leite nos Rock in Rios contemporâneos atualmente de hoje em dia).
E antes que eu me esqueça, existem provas do episódio ridículo o qual narrei acima AQUI.
Eu sempre gostei do Lobão por ele não ser apenas mais um sujeito revoltadinho fazendo rock por aí, ele sempre teve o que dizer, coisa que sempre foi rara em qualquer estilo musical!
Eu recomendo esse álbum pra quem gosta de um som revoltado e gritado que externa nossas revoltas políticas mas também recomendo pra quem prefere as baladinhas filosóficas e tranquilinhas como Uma Dose a Mais e Toda Nossa Vontade, além da já citada Essa Noite Não.
O álbum encerra com um clima meio deprê mas deixa aquela vontade de escutar tudo outra vez.
Não é o melhor álbum de apresentação pra quem não conhece nada do Lobão por não conter canções “obrigatórias” dele, pra essa galera que ainda não está familiarizada com o som do cara eu recomendo começar por um dos dois álbuns clássicos dele, sendo eles Vida Bandida (1987) ou A Vida é Doce (1999). São dois álbuns de épocas diferentes e com sonoridade completamente distintas e que podem até confundir aqueles que não os conhecem, mas ambos possuem composições clássicas do Lobão e são uma excelente forma de começar a conhecer seu trabalho.
O primeiro tem uma pegada mais rock’n roll gritada, que sempre foi característica do Lobão. O segundo é estranhíssimo e vem numa pegada meio trip rock que lembra muito o Portishead, mas também é muito bom! Chega de conversa e vamos as recomendações desse álbum:





Veja Também

Nenhum comentário:

Postar um comentário