Turma da Mônica: Lições Tem Sensibilidade e Coragem

Vitor Cafaggi e Lu Cafaggi, os irmãos responsáveis pela HQ Turma da Mônica: Laços, do selo Graphic MSP, agora fazem com que sua sequência se torne minha nova favorita, em substituição a anterior.
Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão estão de volta, dessa vez com um novo dilema: adultos tentando ensinar lições a seus filhos e alterando suas vidas no processo. Todos nós já aprendemos o quão dolorida uma mudança pode ser enquanto atravessávamos a infância e adolescência, ainda mais uma mudança imposta por pais preocupados com o bem estar de seus filhos. Pela primeira vez, as crianças se vêem em uma situação onde são obrigadas a sair de suas zonas de conforto e, o que é mais genial, nos levam junto.
Crescemos acostumados com as características dos quatro personagens mais queridos dos gibis brasileiros e, ao vê-los em uma situação que pode mudá-los para sempre, é natural sentir um aperto no coração. Talvez seja algo parecido com isso em maior intensidade, é claro, que os pais sentem em alguns momentos quando notam as mudanças e crescimento de seus filhos.
Eu não vou falar nada sobre a arte dos irmãos Cafaggi além do fato de ela ser irretocável. Eles seguem o mesmo modelo da primeira edição com Vitor ilustrando o tempo presente e Lu se responsabilizando pelos flashbacks, ainda mais belos do que na edição anterior.
A história possui uma construção muito madura e um arco inicial que convence, mas o grande mérito está no clímax e na conclusão da HQ.
Todo o cenário construído aqui tinha tudo para levar a uma solução fraca, covarde e cheia de clichês, mas é uma enorme alegria saber que ao lado da notável sensibilidade, que os irmãos quadrinistas usam para dar vida aos personagens e enriquecê-los ao mesmo tempo, existe também uma coragem em seguir adiante com os dilemas dos mesmos.
Como sempre, existe o dedo do editor Sidney Gusman e até mesmo do próprio Maurício de Sousa em algumas decisões de produção, mas isso tudo acontece sem deixar de lado a liberdade criativa dos Cafaggi.
As referências a cultura pop também são recorrentes nessa HQ e uma impressão que tive ao ler a revista anterior é repetida aqui: a ambientação parece ser muito inspirada em filmes americanos da década de oitenta. É bem provável que isso tenha sido proposital e talvez até incomode alguns por vermos personagens genuinamente brasileiros em um cenário com uma forte influência americana, mas não foi o meu caso.
De uma maneira geral, Turma da Mônica: Lições tem a coragem necessária para entregar uma excelente história que vai muito além do que revisitar personagens clássicos, revisitando também nossas próprias infâncias e as difíceis lições que aprendemos durante nossas vidas. Não existe nada nessa HQ que não tenha funcionado para mim.

Nota: 5/5

Veja Também

Nenhum comentário:

Postar um comentário