Tutorial Scrivener: Primeiros Passos - Parte 1


Com o objetivo de ajudar alguns escritores(as), experientes ou não, a fazer um bom uso do Scrivener, software de escrita que eu apresentei NESTE POST, preparei uma série de tutoriais para demonstrar as principais funções da ferramenta a todos os que buscam um software mais organizado e confortável para escrever. 
É importante avisar que todos os tutorias serão feitos com a distribuição do Scrivener para Windows. O Scrivener 2, atualmente disponível apenas para Mac, possui todas essas funções bem como algumas pequenas melhorias, ainda indisponíveis para Windows. Vale lembrar que a distribuição para o Linux também possui a maior parte dessas funções em pleno funcionamento mas, por se tratar de uma versão beta, pode apresentar pequenas falhas de desempenho.
Nesta primeira parte do tutorial irei dar algumas dicas de como você pode escolher o modelo apropriado para seu projeto, começar sua escrita e organizá-la da forma que preferir.

Quando iniciar um novo projeto no Scrivener, a tela que você irá ver é a seguinte:


Na primeira vez em que abrir o programa, você deverá escolher em qual pasta irá salvar seus projetos. Eu recomendo que você escolha uma pasta do DROPBOX, GOOGLE DRIVE ou qualquer outra ferramenta de nuvem de sua preferência. O Scrivener já possui um sistema de salvamento automático a cada segundo, mas a nuvem é uma ótima maneira de trazer ainda mais segurança para seus arquivos.

No lado esquerdo da janela você verá uma lista de categorias de modelos do Scrivener. Esses modelos são templates para te ajudar na formatação e organização do seu projeto.
Ex: Se você quer escrever um roteiro para cinema, selecione o modelo apropriado e o Scrivener iniciará um documento em branco, que te permite escrever suas cenas seguindo automaticamente a formatação padrão de um roteiro.

Os modelos estão separados nessa tela inicial através das seguintes categorias:

Em Branco - Para quem não quer seguir padrão algum de formatação. Ideal para textos menores, como por exemplo as postagens de um blog.

Ficção - Ideal para romances, séries de livros e contos.

Não-ficção - Há modelos recomendados para textos de não-ficção, pesquisas científicas e até mesmos TCCs.

Roteiro - Existem modelos dedicados ao cinema (audiovisual, em geral), peças de teatro, histórias e quadrinhos, entre outros.

Diversos - Ainda há uma categoria com opções de formatação para palestras e livros de receitas.

Se você acha que isso tudo é pouco ou gostaria de customizar um dos modelos acima para te servir melhor, o Scrivener permite que você salve novos modelos para utilizar no futuro. Farei um tutorial explicando essa função.

Agora que você conhece os principais modelos, escolha o que melhor se encaixa em seu projeto, digite o nome em SALVAR COMO e clique em CRIAR.

Pretendo fazer tutoriais explicando o funcionamento e potencial de cada um dos principais modelos descritos acima. Por hora, tente se familiarizar com a ferramenta.
Para o exemplo a seguir eu utilizei o modelo EM BRANCO.


Note que no topo, no lado esquerdo, você verá o nome do seu projeto.

Cobrindo a maior parte da lateral esquerda do painel, você verá o FICHÁRIO. Ali vão ficar todos os documentos relacionados a seu projeto, divididos em textos e pastas. Isso serve para te ajudar a organizar melhor seus arquivos.
Note que logo de cara o modelo já trouxe três pastas (Rascunho, Pesquisa e Lixeira) e um arquivo de texto (Sem Título). Você pode renomeá-los (botão direito do mouse) ou movê-los (clicar e arrastar) como desejar. Também é possível criar novas pastas para organizar seus textos por categoria. Eu costumo SEMPRE ter uma pasta dedicada apenas aos personagens de minhas histórias, para consulta rápida durante a escrita.

Você pode criar novos textos ou pastas clicando com o botão direito do mouse em qualquer lugar no fichário e selecionando ADICIONAR > NOVO TEXTO ou NOVA PASTA. Também é possível fazer a mesma coisa através dos botões localizados no rodapé do fichário.


Se você quiser organizar seus documentos e pastas de forma visual, poderá alterar os ícones clicando sobre a pasta/documento com o botão direito do mouse, selecionando CHANGE ICON e escolhendo um dos muitos ícones disponíveis.

No lado direito do painel, ocupando a maior parte da tela, você verá o documento ou pasta que estiver selecionado no fichário. É só escrever. Simples assim.
Não se preocupe com a formatação ou com a contagem de páginas. Você poderá escolher a primeira de maneira rápida e prática na hora de exportar o seu texto. Já a segunda, simplesmente não existe. Calma, não se desespere. O Scrivener possui um sistema de estatísticas bem completo para seu projeto. 
No rodapé de cada documento você poderá consultar o número de palavras e caracteres. Caso você queira consultar com quantas páginas ele está, basta ir até o menu superior, clicar em PROJETO > ESTATÍSTICAS DO PROJETO.

Você já está pronto para começar seu projeto. No PARTE 2 deste tutorial trarei algumas dicas para que sua escrita possa fluir com mais naturalidade e com o mínimo possível de distrações.

Veja Também

Nenhum comentário:

Postar um comentário