4 dicas para publicação independente

Se você é um escritor/escritora e escreve para o mercado brasileiro, é muito provável que você seja independente, ou seja, não possua contrato com nenhuma editora. Ser um bom autor/autora não te garante a atenção de uma editora. Por isso, se não quiser abandonar sua paixão pela escrita, é quase certo que vai precisar se aventurar no cenário independente. Separei quatro dicas que apreendi nos últimos anos e considero fundamentais para que sua paixão pela escrita sobreviva.

Seja comprometido com seu texto


Pra começo de conversa, não tenha preguiça de reescrever, buscar leitura beta ou revisar seu texto. Não entregue qualquer porcaria. Trabalhe como se tivesse um contrato milionário assinado. Um dia, pode ser que você realmente assine um contrato. Se acontecer, é melhor que você já tenha aprendido a se comprometer com sua obra.

Coloque a mão no bolso


Ser independente significa que você tem poucos recursos. Não existe toda a infraestrutura de uma editora a sua disposição. Escrever algo e publicá-lo sem preparar o texto é amadorismo. Aliás, reduz drasticamente a chance de você ser levado a sério por leitores, colegas escritores ou editoras.
Seu texto precisa passar por algumas etapas antes de chegar ao leitor. Leitura beta (tem essa e essa postagem falando sobre o assunto), leitura crítica, edição, copidesque, revisão, diagramação, capa, projeto gráfico e o que mais você achar que pode agregar valor a sua obra.
Existem profissionais que prestam os serviços acima e eles não trabalham de graça. Nem deveriam. Separe uma grana pra investir nessas coisas. Pode parecer meio caro, mas você consegue bons resultados que terão o seu nome na capa. Vale a pena o esforço. Farei uma outra postagem explicando melhor essas etapas e como negociar com esses profissionais. Por hora, falemos sobre outra questão muito importante pra qualquer autor.

Construa uma base de leitores


Pra conseguir publicar e ser lido você irá precisar ter leitores. Essa dica é repetida a exaustão em tudo que é lugar. Uma base de leitores é um diferencial maior do que seu texto para boa parte das editoras brasileiras. Ninguém quer tomar prejuízo. Ninguém quer investir dinheiro e publicar algo que vai ficar encalhado nas prateleiras. Uma boa base de leitores reduz o risco do investimento para uma editora. Faz parte do mercado. Por mais que a gente não goste ou não concorde, precisamos aprender a conviver com isso.
Existem muitas formas de você criar uma base de leitores. Escolhi usar este blog e minha newsletter aliados a minha presença no twitter. Tenho tido resultados interessantes. Procuro sempre dar atenção pros leitores e colegas. Ser acessível é fundamental.
Mas este é o MEU caminho. Você pode fazer de outra maneira. Sendo colunista em um grande portal, criando seu próprio blog, integrando o time de um podcast, mantendo um canal no youtube e muitas outras coisas. Se você já faz algo assim, dê uma "profissionalizada" na coisa. Encare como sua vitrine. Muitos novos leitores irão te conhecer por suas postagens na internet. É melhor que sejam boas postagens.
Se você ainda não faz nada do tipo, sugiro que pense a respeito. Pode não ser o ideal pra você. Lembre-se, existem outros caminhos. Se concluir que este método pode funcionar, pense em começar algo relacionado ao gênero que você escreve. É uma forma natural de atrair pessoas interessadas em ler seus textos.

Conheça as plataformas disponíveis


Tá tudo resolvido. Escreveu e reescreveu feito um maníaco. Submeteu seu texto a todas as etapas de finalização. Arrumou uma capa bacana. Agora, onde publicar isso? Tentei responder isso em um infográfico.



Veja Também

Nenhum comentário:

Postar um comentário