Entendendo a leitura beta


Existe uma etapa no processo de escrita de qualquer autor/autora chamada de leitura beta. É um momento importante onde se testa a obra em diversos aspectos. Isso acontece através de leitores que se propõe a ler um texto não publicado em troca de suas impressões sinceras.
Tenho vários leitores beta e também já fui leitor beta de outros autores. Por conta disso, decidi escrever esse artigo explicando o processo para novos autores, para que todos possam tirar o melhor proveito desse recurso. Importante: a leitura beta deve ocorrer sempre antes da edição, seja ela feita por uma editora ou por um profissional que preste este serviço para o autor/autora. É uma forma de deixar o texto um pouco mais maduro antes de ser submetido a uma edição mais meticulosa e técnica.

O que você vai precisar


Um punhado de leitores que aceite ler o seu texto. Não escreva um texto de terror e envie para alguém acostumado a ler apenas drama. Envie seu texto a leitores que gostem do gênero no qual você escreve. Lembre-se, você está testando seu público alvo. Não levar isso em conta é como desenvolver a receita de um bolo de chocolate e dar um pedaço para um diabético experimentar. Simplesmente não vai dar certo. Veja bem, nada impede que o seu livro seja lido por essas pessoas depois de publicado. É até desejado que você ultrapasse as fronteiras de seu público alvo. Mas durante a leitura beta, isso deve ser respeitado pela seguinte razão: se a leitura for frustrante, que seja por "erros" no texto e na narrativa, e não porque o leitor não gosta do gênero. Caso contrário, você desperdiçou o seu tempo e o tempo do leitor.
Costumo sempre enviar para os betas a segunda versão de meus textos. Acredito que a primeira versão ainda seja crua demais e que eu mesmo posso fazer uma boa revisada em vários pontos antes de mostrar a alguém. Mas isso é algo pessoal, você deve enviar a versão que achar melhor, sempre tomando o cuidado de não enviar nada muito cru.

Uma observação final, mas não menos importante: leitura beta não é um serviço profissional. Ou seja, não espere comentários técnicos sobre narrativa, construção de personagens, etc. Você pode até ter um leitor que entenda dessas coisas, mas os comentários quase sempre vão se limitar a "isso funcionou pra mim" ou "isso não funcionou pra mim". E é exatamente pra isso que a leitura beta existe: testar o seu público e entender quais são os pontos em que você precisa dar uma melhorada. O que nos leva ao próximo tópico.

Como reagir ao feedback


Essa talvez seja a parte mais importante de todas. Leitura beta não é uma massagem de ego. Você não deve mostrar seu texto pra ser elogiado. O objetivo é exatamente o oposto, você precisa DESESPERADAMENTE de críticas. Só assim você vai fazer com que seu texto fique menos óbvio ou amador. Além do mais, se você se ofende com críticas, dificilmente será um bom escritor(a). No começo é mais difícil, eu sei. Mas você pega o jeito. Entenda as críticas como uma chance de crescimento artístico e profissional e não como ofensas pessoais.

Uma observação final, mas não menos importante: Não se justifique para os leitores betas. Se eles fizerem perguntas, responda. Se eles apenas fizerem críticas, anote tudo e trabalhe em cima delas depois. É muito anti-profissional tentar rebater as críticas dos leitores dizendo coisas como "sim, mas..." ou "ah, mas você não entendeu...". Se o leitor não entendeu, você provavelmente não mostrou como deveria. Mas já estou entrando em um outro assunto. Falemos sobre ele.

Devo acatar todas as críticas e sugestões?


É óbvio que não. Se um leitor critica algo que não foi problema para os demais, talvez você possa manter aquilo em sua história. Quando vários leitores criticam a mesma coisa, você sabe que tem um problema sério que precisa ser consertado. Isso aconteceu quando eu escrevia meu livro. Após ele retornar da leitura beta eu percebi uma opinião quase unânime: o começo estava ruim. Lento e desinteressante. Entendi que precisava ser refeito. Apenas um dos meus leitores não reclamou disso, logo, seria problemático publicar o livro sem refazer o começo. No fim das contas, você é o autor. As decisões são suas. Use seu bom senso e leve em consideração as críticas, mas tome decisões. Algumas sugestões serão acatadas. Outras não. A vida segue.

Uma observação final, mas não menos importante: Uma coisa que eu costumo fazer é comparar as opiniões dos leitores. Se um leitor faz uma observação do tipo "esse final foi meio fraco", eu costumo perguntar para os demais leitores se eles concordam com isso. Mesmo que essa observação não tenha sido observada por eles em seu feedback, é uma oportunidade de descobrir se certas críticas isoladas precisam de fato da sua atenção. Mas cuidado, se for fazer isso JAMAIS exponha seus leitores. Nunca mencione nomes ou diga quem defendeu essas opiniões. Seja genérico "recebi o seguinte comentário. O que você acha disso?".

Mas o que acontece se eu receber apenas elogios?


Você, provavelmente, precisa de outros leitores beta. Isso não quer dizer que o leitor está errado. Apenas significa que você não tem como consertar o seu texto, afinal você não sabe quais partes estão mais fraquinhas. Não caia no mito de: meu texto está pronto, não precisa de nenhuma alteração. Somente os gênios-mutantes podem escrever algo incrível sem precisar de qualquer alteração. E você não é um gênio-mutante, caso contrário não estaria lendo este artigo.
Já aconteceu de eu receber um feedback 100% positivo. Não havia críticas sobre um texto, mas isso rolou apenas com um leitor. Os demais fizeram seus apontamentos normalmente. Se for esse o caso, não há necessidade de trocar de leitores beta. Só faça isso se nenhum deles criticar absolutamente nada. Ainda assim, os agradeça pelo tempo investido na leitura e os trate com respeito. 

Uma observação final, mas não menos importante: leitores beta não tem obrigação alguma de consertar seu texto pra você. Se eles não encontraram defeitos, você não deve acreditar, mas também não precisa tratá-los como leitores menores ou mais inexperientes. Algumas pessoas percebem mais detalhes, outras menos. Não há nada de errado com nenhum dos dois grupos.

Uma última recomendação


Envie o seu texto no formato que seja mais confortável para seu leitor. Uma leitura cansativa pode influenciar nas considerações de quem lê. Se o seu leitor costuma ler no Kindle ou em outros ereaders, providencie o seu texto no formato .mobi ou .epub. E não faça conversões toscas que deixam a diagramação parecendo o Jesus restaurado. 



Exporte os arquivos da forma apropriada. Procure tutoriais na internet. É mais fácil do que você pensa. Dica rápida: se você usa o scrivener, ele já faz isso por você.
Além dos dois formatos citados acima, ofereça também o .pdf. É um formato bastante pedido, já que os ebooks ainda são um pequeno nicho. Pode acontecer também do seu leitor pedir uma cópia física. Fica a seu critério decidir se vale ou não a pena.


Uma observação final, mas não menos importante: nem todos os leitores irão de fato ler o seu texto. Alguns vão se esquecer, ou até mesmo não terão tempo pra isso. Não fique cobrando. Seja paciente. Se o leitor não ler, não leve pro lado pessoal. Lembre-se: você pediu um favor. Dependendo do tamanho do seu texto isso significa que os leitores precisariam dedicar horas de seu tempo livre para você. É totalmente compreensível se você não quiser mais pedir a ajuda desses leitores para outros textos, mas não há necessidade de comprar briga ou ficar ofendido com isso. Vale lembrar outro detalhe: é de bom tom que você agradeça aos leitores beta em uma seção especial em seu livro quando ele for publicado. Não é algo obrigatório, mas é justo e muito bem-vindo.

Veja Também

2 comentários

  1. 👏 Muito legal saber do processo da leitura pelos Beta. Fico só com uma pergunta:
    É mais comum mandar partes do texto pro Beta ou o texto quase/na íntegra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca enviei texto incompleto aos betas. Recomendo que não faça isso. Um texto só pode ser avaliado se estiver inteiro. Texto incompleto = opinião incompleta.

      Excluir